segunda-feira, 25 de maio de 2009

Presença

.
"Eu te amo tanto como se sempre estivesse te dizendo adeus."
(Clarice Lispector)
.

O último beijo, em mim reverbera,
e a ele se misturam ainda, frágeis, as ressonâncias do primeiro,
já quase inaudível.

Entre um e outro, todos os nossos carinhos vêm brincar:
crianças em festa lembram-me de aguar nossos passarinhos.

Hoje - e desde que não te vejo -
o som que emana do nosso encontro-despedida,
impõe o ritmo do meu diário partir-chegar.
.

3 comentários:

Caixa Preta. disse...

Que beleza!

lindas palavras!

Lilian Chinem disse...

Sutileza profunda! Boniteza...

-d.c.- disse...

"Acreditei que se amasse de novo
esqueceria outros
pelo menos três ou quatro rostos que amei...
organizei a memória em alfabetos
como quem conta carneiros e amansa
no entanto flanco aberto não esqueço
e amo em ti os outros rostos."

(Ana Cristina César)